Em reunião do Comitê da Indústria de Defesa da FIESC, nesta quinta-feira (29), foram apresentadas as oportunidades que o Exército oferece, inclusive com possibilidade de fornecimento pelas pequenas empresas

Florianópolis, 29.11.2018 – O Comitê da Indústria de Defesa da FIESC (Comdefesa) realizou reunião nesta quinta-feira (29) com o objetivo de aproximar a indústria das demandas militares. No encontro, também foi destacada a importância da participação das pequenas empresas na cadeia de fornecimento. O presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar, salientou que o setor de defesa representa grande oportunidade de negócios e inovação para a indústria catarinense.

“A área militar realiza compras amplas e diversificadas, adquirindo praticamente todo o tipo de material que se possa imaginar. Ou seja, existe espaço para todos os segmentos industriais e de todos os portes. Além da diversidade de produtos, o setor de defesa requer inovação. Muitas das grandes invenções surgiram de tecnologias desenvolvidas para fins militares. Não somente para a guerra, mas para o cotidiano, dos quarteis, das manobras de treinamento e do trabalho de inteligência”, disse. Ele ressaltou que o alto grau de exigência do setor militar em termos de qualidade acaba se constituindo em uma garantia da excelência do fornecedor. “As exigências no que diz respeito a custos, funcionalidade e primor na elaboração das mercadorias são elevadas e, por isso, ajudam a aperfeiçoar o processo de produção”, completou.

O diretor de abastecimento do Exército, o General de Brigada Flávio Neiva informou que há um conjunto de compras feitas anualmente, que engloba itens como alimentos e fardamentos, no valor aproximado de R$ 750 milhões. A instituição tem um efetivo de 211 mil profissionais e abastece diariamente 420 cozinhas industriais. Também compra produtos diferenciados, como a “ração operacional”, utilizada por soldados em campo. Ele disse que o Exército, cada vez mais, tem buscado parceiros para agregar tecnologia às roupas. Como exemplo, citou o desenvolvimento de um uniforme que permita o uso de sensores. “Temos que trabalhar com parcerias e muita inovação”, disse.

O vice-almirante Francisco Antônio de Magalhães Laranjeira apresentou detalhes da feira Ridex (Rio Internacional Defense Exhibition), que será realizada em junho de 2020, no Rio de Janeiro, com foco na exposição de produtos de defesa e segurança. O evento fomenta a integração das Forças Armadas e órgãos de segurança pública com a indústria e os centros de pesquisa e desenvolvimento de tecnologia, além de promover a base industrial de defesa do Brasil. O presidente do Comdefesa, Cesar Olsen, ressaltou que a Ridex é uma vitrine importante para as indústrias. “É o momento que existe para as empresas mostrarem suas tecnologias e produtos”, reforçou.

Para as empresas de pequeno porte que querem se preparar para fornecer ao Exército, o Sebrae dispõe de um curso que aborda temas como a base para a empresa participar de licitações de forma mais segura e correta, que engloba as leis 8.666, lei de inovação, além de orientações para ser uma empresa de defesa e estratégica de defesa.

Entre em contato

Tire dúvidas, envie sugestões e reclamações

Fale conosco