Representantes da ACIB participaram de reunião, nesta quinta-feira (22), em Florianópolis, na sede da Federação

Florianópolis, 22.3.2018 - Um grupo de empresários da Associação Empresarial de Blumenau (ACIB) conheceu as principais ações da FIESC e suas entidades (CIESC, SESI, SENAI e IEL) durante reunião, nesta quinta-feira (22), na sede da Federação, em Florianópolis. No encontro, o presidente da FIESC, Glauco José Côrte, apresentou um perfil da indústria, o desempenho e as perspectivas da economia, além dos pilares de atuação da entidade: ambiente institucional, educação, saúde e segurança e inovação e tecnologia. O grupo também conheceu ações de internacionalização e promoção comercial, iniciativas voltadas ao associativismo, infraestrutura, Programa Novos Caminhos e INVESTE SC. 

“Reitero essa parceria e acredito que temos o mesmo propósito, que é gerar emprego e riqueza. O desenvolvimento tem um destinatário que são as famílias. Não é um fim em si mesmo.  É para melhorar o bem-estar das pessoas, das famílias e, sobretudo, nesta fase difícil do Brasil, manter acesa a esperança dos jovens”, disse o presidente da FIESC.

O vice-presidente da FIESC para o Vale do Itajaí, Ronaldo Baumgarten Júnior, salientou a importância do trabalho da entidade na região. O presidente da ACIB, Avelino Lombardi, disse que a parceria entre as instituições deve sempre se renovar e se fortalecer.

Durante a reunião, Côrte informou que Santa Catarina é a sexta economia do País, com um PIB de R$ 249 bilhões (dado de 2015) e tem 50,8 mil indústrias que empregam cerca de 735 mil trabalhadores. Ele chamou a atenção para o desempenho positivo do emprego em 2017. A indústria catarinense fechou o período com um saldo de positivo de 12,4 mil vagas. O resultado deu ao Estado a liderança na geração de empregos industriais. “Isso mostra a importância do setor. Mais ainda se considerarmos que a indústria catarinense participa com cerca de 29% do total da formação do PIB catarinense. Estamos muito acima da média brasileira”, declarou, lembrando que sempre que a indústria tem um bom desempenho, o PIB catarinense cresce.

“Outro dado importante é que somos considerados o Estado cuja indústria de transformação é a mais diversificada do País, o que explica esse bom equilíbrio que temos em relação à economia. Temos uma grande diversificação e desconcentração. Praticamente não há cidade catarinense, por menor que seja, que não tenha uma base industrial”, completou o presidente da FIESC, ressaltando que essa desconcentração se dá com base na vocação de cada região.  

No encontro também foi apresentado o Movimento Santa Catarina pela Educação. Criado em 2012 como uma iniciativa da indústria, com o apoio das federações dos trabalhadores, o Movimento ganhou a adesão do comércio (Fecomércio-SC), da agricultura (FAESC) e dos transportes (Fetrancesc), entre outras instituições. 

Também foi destacada a entrega do Instituto da Indústria, que recebeu investimento de R$ 15 milhões e trabalha no desenvolvimento de inovações para o setor. A estrutura, de 3,3 mil m², localizada no Sapiens Parque, em Florianópolis, abriga o Instituto SENAI de Inovação em Sistemas Embarcados e o Centro de Inovação SESI em Tecnologias para Saúde. No ano passado, foi entregue em Joinville os institutos SENAI de Inovação em Sistemas de Manufatura e em Processamento a Laser.

Entre em contato

Tire dúvidas, envie sugestões e reclamações

Fale conosco