Mostra reúne trabalhos de artistas brasileiros e segue até o dia 3 de fevereiro de 2019 no MASC, em Florianópolis. Iniciativa é do Sistema da Indústria e no estado conta com o apoio da FIESC.

Florianópolis, 26.10.2018 - A abertura das exposições que compõem a 6ª edição do Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas reuniu a classe artística de Santa Catarina e personalidades do segmento cultural no Museu de Arte de Santa Catarina (Masc), em Florianópolis, na noite desta quinta-feira (25). A visitação gratuita segue até 3 de fevereiro de 2019. Escolas das redes públicas e privadas, professores e arte-educadores podem ainda agendar a participação no projeto educativo – visitas guiadas, oficinas e ações poéticas. A mostra é iniciativa é do Sistema Indústria e no estado conta com o apoio da FIESC.

“A arte tem papel fundamental na transformação social”, destacou Fabrizio Machado Pereira, diretor superintendente do SESI/SC, durante o evento de abertura da exposição. Ele destacou ainda a importância das ações educativas do projeto, “que têm impacto não somente em crianças e adolescentes, mas também na formação de professores e educadores”.

Já o curador Marcus Lontra enfatizou a importância do projeto chegar à sexta edição e destacou a presença de representantes de Santa Catarina entre os vencedores – dos seis premiados, dois são do estado, o artista Fernando Lindote e o curador Josué Matos. Segundo Lontra, a passagem das exposições por Florianópolis, com dois catarinenses, vai incentivar a presença de artistas locais em futuras edições do Prêmio.

Florianópolis é a última capital receber a mostra itinerante, que já passou por Brasília, Goiânia, Fortaleza e Rio de Janeiro. Até 3 de fevereiro de 2019 é possível conhecer obras dos cinco artistas premiados - Daniel Lannes (RJ), Fernando Lindote, Jaime Lauriano (SP), Pedro Motta (MG) e Rochelle Costi (SP). Também é possível conferir as exposições “Verzuimd Braziel – Brasil Desamparado”, do curador premiado Josué Mattos, e “A Intenção e o Gesto”, com obras do artista cearense Sérvulo Esmeraldo (1929-2017).

A primeira exposição reúne trabalhos de 17 artistas brasileiros que abordam, de maneiras distintas, a situação contemporânea de desamparo do país. Já Sérvulo Esmeraldo é o homenageado do Projeto Arte e Indústria, criado para homenagear artistas que desenvolvem trabalhos cujos processos de criação se relacionem à produção industrial.
 
Com informações da All Press
 

Entre em contato

Tire dúvidas, envie sugestões e reclamações

Fale conosco