Movimento SC pela Educação é apresentado na Feira do Livro em Joinville

Presidente da FIESC disse que a educação atrai os brasileiros de bem e aqueles que querem realmente trabalhar para transformar o País e torná-lo melhor
Imprimir
  • Presidente da FIESC, Glauco José Côrte, durante apresentação, em Joinville (foto: André Kopsch)
  • Presidente da FIESC, Glauco José Côrte, durante apresentação, em Joinville (foto: André Kopsch)
  • A jornalista Miriam Leitão e o colunista Moacir Pereira durante participação no encontro (foto: André Kopsch)

Joinville, 10.06.2017 – O presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), Glauco José Côrte, apresentou o Movimento Santa Catarina pela Educação aos participantes da Feira do Livro, em Joinville, na noite deste sábado (10). Ele disse que a educação atrai os brasileiros de bem e aqueles que querem realmente trabalhar para transformar o País e torná-lo melhor. “A FIESC junto com os parceiros do Movimento está trabalhando pela causa da educação porque queremos um Brasil melhor, livre de corrupção, mais ético, um Brasil que não rouba a esperança dos nossos jovens. Esse é o grande esforço que temos que fazer para que o jovem permaneça acreditando no País”, afirmou. A jornalista Miriam Leitão e o colunista Moacir Pereira também participaram do evento.

Côrte ressaltou que as novas formas de produção exigirão profissionais com características diferentes das atuais formações e citou como exemplo equipes multidisciplinares com elevado conhecimento técnico e desenvolvimento das habilidades socioemocionais. “No Brasil, estamos passando por uma transformação demográfica muito grande e nos próximos dez a quinze anos vamos perder o bônus demográfico, o que significa que menos jovens vão chegar ao mercado de trabalho. Então, os profissionais atuais ficarão no trabalho por muito mais tempo e precisarão de um bom nível de escolaridade e boa saúde para continuar sendo produtivos”, explicou.

Em sua palestra após a apresentação do presidente da FIESC, Miriam Leitão disse que um dos livros que escreveu intitula-se Histórias do Futuro, que contempla um capítulo sobre educação, que ela considera “a maior das tarefas”. “Quero concordar inteiramente com o que foi falado aqui pelo Glauco que a educação é fundamental na economia, na política e em todas as áreas do Brasil. Vi que o livro está atualizado com todas as questões importantes que estão sendo tratadas pelo Movimento Santa Catarina pela Educação, que está absolutamente antenado com o que há de mais moderno neste momento na educação e na discussão sobre a educação do futuro”, afirmou a jornalista.

O presidente da FIESC salientou que a educação dos jovens passa por uma transformação muito grande. O Fórum Econômico Mundial de 2015 debateu o futuro do emprego e foi revelado que 30% dos empregos atuais não existiam há dez anos e 65% das crianças de hoje executarão empregos que ainda não existem. “Esse é o desafio que temos pela frente: como empresas, escolas e governo vão preparar os jovens para uma profissão que não sabemos qual será? ”, indagou ele.

O Movimento, lançado em 2012, tem o desafio de proporcionar aos trabalhadores catarinenses a escolaridade básica completa e formação profissional e tecnológica compatível com a função exercida. A iniciativa conta com 2,2 mil signatários e obteve a adesão da Fecomércio-SC, Faesc, Fetrancesc, Secretaria de Estado da Educação, além de entidades representativas dos trabalhadores das indústrias e outras instituições públicas e privadas.