Palestra da Nasa abre oficina de satélites embarcados em latas descartáveis no SENAI/SC

Evento será na segunda, 11, na Capital; no contraturno do segundo semestre, estudantes do ensino médio em Florianópolis e em Criciúma vão aprender a produzir também impressoras 3D
Imprimir
  • Protótipo do Cansat desenvolvido na UFMG

Florianópolis, 06.9.17 – Com palestra do cientista James Spann, da NASA (National Aeronautics and Space Administration, a agência espacial americana), o SENAI Conecte lança, nesta segunda, em Florianópolis, as oficinas de contraturno do segundo semestre de 2017. Entre as atividades que serão desenvolvidas nos próximos meses estão satélites meteorológicos embarcados em latas descartáveis (de refrigerante, por exemplo) e impressoras 3D. As oficinas envolvem alunos da Capital e de Criciúma, cidades onde é oferecido o ensino médio Conecte da instituição (que em Santa Catarina integra a FIESC). No ano que vem, o modelo de ensino integrado ao curso técnico em informática será levado a Brusque, São José e Tijucas.

James Spann apresentará aos estudantes duas palestras, uma sobre a própria agência e outra sobre clima espacial, tema sobre o qual é especialista. Ele estuda as imagens da aurora, bolhas de plasma na atmosfera, interação entre partículas e luz, e a anomalia magnética do atlântico sul, que prejudica, por exemplo, a navegação precisa com GPS no Brasil.

O desenvolvimento de satélites embarcados em latas é chamado de cansat, termo que associa a expressões “can” (lata, em inglês) e “sat”, de satélite. “Em termos de educação, o projeto tem muitas possibilidades de abrir portas e abrir a cabeça de alunos ainda em formação em relação a seus interesses”, afirma a professora Maria Cecília Pereira, da Universidade Feceral de Minas Gerais (UFMG), que prestará consultoria ao projeto. Segundo ela, o cansat não se caracteriza como uma revolução tecnológica. “Seu maior mérito é despertar vocações e mostrar para alunos de ensino médio como a engenharia é feita”. Ela ressalta a relevância da iniciativa na inclusão de mulheres no desenvolvimento tecnológico.

A proposta educacional é concebida de acordo com a metodologia Problem Based Learning (sigla em inglês para aprendizado com base em problemas), na qual os alunos aprendem solucionando um problema proposto. “Neste caso, o problema proposto é de engenharia, contemplando várias áreas, assim como gerenciamento de projeto. Espera-se despertar interesse e vocação de alunos, e principalmente alunas, para as carreiras nas áreas de ciência, tecnologia, engenharia e matemática”, destaca Maria Cecília. “Os alunos são estimulados a procurar soluções à medida que o problema se apresenta; as soluções encontradas por eles são discutidas com professores especializados na área em questão e decisões de engenharia são tomadas”.

Os estudantes vão desenvolver os satélites utilizando processadores tipo Arduino, sensores diversos e componentes relacionados à comunicação, que serão embarcados em latas descartáveis de alimentos. Depois, os dispositivos serão lançados na atmosfera com a ajuda de balões. A professora Maria Cecília Pereira estima que os artefatos devam permanecer em voo por cerca de quatro horas, em altitude de 20 a 30 quilômetros, enviando informações sobre o clima e componentes ambientais, conforme objetivos de cada missão, estabelecidos entre os alunos e os professores.

A mesma metodologia será utilizada nos demais clubes (como são denominadas as oficinas do SENAI Conecte). No Clube Lab Aberto, os alunos trabalharão da implantação dos Laboratórios Abertos de Criciúma e Florianópolis, além de planejar, organizar e operar um Grand Prix de Inovação. No clube Impressora 3D, os estudantes construirão quatro impressoras 3D, que serão ferramentas nos Laboratórios Abertos. O clube Maker Experience é dedicado a criar outras ferramentas que serão utilizadas posteriormente nos laboratórios.

Impacto do ensino de engenharia e de ciências

James Spann participará, na noite de segunda feira, no SENAI em São José, de uma mesa redonda sobre impacto do ensino de engenharia e de ciências na indústria e no desenvolvimento econômico. O evento marca o lançamento do Ensino Médio Conecte na unidade e do curso de Engenharia de Controle e Automação, uma parceria entre o SENAI e a Univali, em continuidade ao protocolo de intenções assinado entre UNIVALI e FIESC. Ele também discute parcerias da NASA com o SENAI, o Instituto de Tecnologia da Aeronaútica (ITA) e as universidades federais de Santa Catarina (UFSC) e Minas Gerais (UFMG).

Programação

SENAI Florianópolis - Rodovia SC 401, 3730 - Saco Grande

09 horas: Recepção e interações culturais

10 horas: Abertura

10h30min: Palestra sobre clima espacial e a humanidade, com James Spann (NASA)

11h30min: Palestra “NASA - National Aeronautics and Space Administration” – Sr. James Spann

14 horas: Lançamento Clube CanSat - Prof. Maria Cecília Pereira (UFMG)

14h30min: Simulação de lançamento de satélite por meio de software STK – atividade envolvendo estudantes do Ensino Médio SENAI Conecte

15h30min: lançamento dos clubes Lab Aberto, Impressora 3D e Maker Experience

16 horas: Palestra sobre ecossistema de investimento para startups, pela Rede de Investidores Anjos da ACATE e do Fundo Inseed

16h30min: encerramento e interações culturais.

 

SENAI São José - Rodovia BR 101, km 211, s/n - Área Industrial

19 horas: recepção

19h30: Lançamento do curso de Engenharia de Controle e Automação (SENAI e Univali), e do Ensino Médio SENAI Conecte em São José.

20 horas: Mesa redonda sobre o impacto do ensino de engenharia e de ciências na indústria e no desenvolvimento econômico, com James Spann (NASA), André Pierre Mattei (SENAI) e representante da Univali.

 

Assessoria de Imprensa

Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina